8 de março de 2009

Facebook barra Batman

Após se cadastrar no Facebook com o nome de casada, a norte-americana Caitlin Shaw percebeu que seria difícil para seus amigos da escola encontrá-la. Ela então decidiu incluir no perfil o sobrenome de solteira – Batman --, mas essa simples mudança exigiu dela esforços de uma super-heroína. Isso porque o site de relacionamentos tem uma política contra perfis falsos, no qual o sobrenome da psicóloga se encaixa. Segundo o jornal “Washington Post”, foram três semanas de tentativas e troca de mensagens até que ela conseguisse incluir seu sobrenome de solteira no perfil.

No ano passado, o “Telegraph” noticiou um caso parecido, em que a “vítima” era a escritora japonesa Hiroko Yoda. Ela tentou diversas vezes se cadastrar no site de relacionamentos, todas seguidas de mensagens de erro – seu sobrenome remete ao mestre de “Star wars”. Pelo mesmo problema, continua o “Washington Post”, passam os internautas Tim Six (seis, em inglês), Bess Pancake (panqueca) e Keith Kisser (beijadora). Todos disseram ter tido problema para se cadastrar na rede social que já conta com 175 milhões de internautas em todo o mundo – a título de comparação, o IBGE estima que o Brasil tenha 190,7 milhões de habitantes.

Questionado pela publicação, o site de relacionamentos não divulgou quantos nomes já bloqueou ou a frequência com que proíbe o cadastro de pessoas com nomes estranhos. “Um sobrenome como Batman é barrado porque provavelmente as pessoas podem usá-lo de forma inapropriada”, afirmou Meredith Chin, porta-voz da página. Ela explicou que os cadastros feitos com e-mails aparentemente oficiais -- caso de batman@harvard.edu -- têm mais chances de serem efetuados com sucesso.

A internauta Miranda Batman (que aparentemente não tem parentesco com Caitlin) desistiu inicialmente de se cadastrar no Facebook com o nome de solteira. A moradora de Indiana decidiu então usar o sobrenome Stewart, de casada, mas por conta disso seus amigos mais antigos não conseguiam encontrá-la. Um advogado conhecido intercedeu, trocou e-mails com os responsáveis pela página, e então a mulher ganhou o direito de se chamar Miranda Batman no universo virtual.

Fonte: G1/Portal Via (08/03/2009)

Nenhum comentário: